PUC-SP Voltar para página inicial
 
Espetáculos
Página inicial > Memória > Acervo
Coleção de Depoimentos: História Oral, Arte e Espaço do TUCA

 

Identificação:

Denominação: História Oral: Arte e Espaço do Tuca
Sigla: HIST ORAL AEATUCA
Natureza do Conjunto: Coleção
Datas-limite: 2006-2011


Contextualização:

História Administ./Biografia:

Lançado em 2006 com a exposição de cartazes dos espetáculos do TUCA, realizada no saguão do Tuca Arena, o projeto Suas Memórias Nossa, História visa à ampliação do acervo arquivístico, por meio de captação de novos conjuntos documentais – como os de depoimentos orais. O intuito foi de formar uma coleção de depoimentos daqueles que, de alguma forma, passaram pelo Teatro.

Para isso, foi feita uma seleção de possíveis entrevistados no interesse em traçar a transformação do espaço edificado e estático, em algo que ganha movimento e conhecimento. Foi adotado para guiar as entrevistas um prévio roteiro de perguntas, elaborado a partir de pesquisas realizadas anteriormente na documentação já organizada e armazenada do Centro, além de ser levada em conta a estrutura do teatro, como a coxia, a boca de cena, o palco e o auditório, a fim de descobrir os meandros pouco explorados e possibilitar a complementação de olhares sobre o teatro, que apenas com a documentação administrativa não seria possível.

Hist.Arquivístico/ Procedência:
As entrevistas foram elaboradas pelo Centro de Documentação e Memória - TUCA, que contou com apoio técnico da TV-PUC, setor responsável pela coleta e produção de produtos midiáticos, que forneceram equipamentos de captação de imagem e som.


Conteúdo e Estrutura:

Âmbito e Conteúdo:

A coleção é composta por seis DVDs de aproximadamente uma hora e cassetes de áudio que contêm entrevistas de diversas personalidades que viveram e fizeram parte da história do Teatro. Exemplos disso foram os atores Hélio Cícero, Sandra Corveloni e Denise Fraga, que contaram suas experiências tanto pedagógicas, quanto artísticas no TUCA; rememoraram questões da reforma, da realização de montagens teatrais, das amizades que estabeleceram nesse espaço com diretores, colegas de profissão e da importância tanto profissional, quanto pessoal de terem passado pelo palco deste teatro.

Christine Greiner, assistente-doutora da PUC-SP e membro de corpo editorial da Telondefondo, revista de teoria y crítica teatral, e Kathya Godoy doutora pela PUC-SP, bailarina e coreógrafa, ambas relembram as atividades referentes à dança no Tuca, contaram suas longas trajetórias e projetos realizados em parceria com a direção do Teatro.

Pablo Moreira, psicólogo, pedagogo e diretor teatral, coordena a Escola de Atores do TUCA. Pablo comentou a criação do curso de teatro no final da década de 1980, as montagens e direções de peças apresentadas pelos estudantes do curso, e como as atividades dentro do espaço foram se modificando ao longo do tempo. Pablo Moreira, também se lembrou do tempo da reforma do Tuca e do convite que recebeu para reerguer a vida cultural e teatral que o TUCA havia conquistado anteriormente. Recordou sobre o Festival Universitário de Blumenau e os diversos prêmios que a peça, Lusíadas or not Lusíadas recebeu.

Fred Rossi empresário, produtor e diretor de shows e eventos culturais comentou sobre sua carreira, os diversos cantores e cantoras que ele trouxe ao palco do Tuca, como Vinicius de Moraes, Ney Matogrosso e Mercedes Sosa, e como isso contribuiu para o circuito universitário e para a história do teatro. Marly Rodrigues, historiada e doutora pela Unicamp, redigiu em 1986, o livro Tuca 20 anos. Em entrevista Marly relembrou suas experiências nesse espaço, desde o final dos anos de 1960, como as reuniões do movimento estudantil que aconteciam no antigo tuquinha e da pesquisa realizada para a constituição da relação do Tuca com a sociedade que se tornou livro.

Francisco Guedes, arquiteto, urbanista e músico, filho do Joaquim Guedes, falecido arquiteto responsável pelo projeto de reconstrução do TUCA, fez parte da reconstrução do Teatro, tanto na parte de angariação de verba tocando com Arrigo Barnabé, quanto dentro do projeto arquitetônico de reconstrução criado por seu pai. Guedes falou sobre as mudanças físicas que o teatro sofreu e como foi para ele coordenar as atividades no dia-a-dia da obra.

Renato Ganhito, diretor de projetos lembrou a época de estudante de história da PUC-SP e do convite feito pelo Padre Enzo Guzzo para a participação na comissão de reconstrução do TUCA, falou sobre os espetáculos que aconteciam no Tuca na época e o quanto ele os considerava direcionados para o público empresarial e não para o universitário, rememorou o período em que foi diretor do teatro e da produção artística que o espaço assumiu posteriormente.

Jorge Eugênio Alves, ex-funcionário do Teatro TUCA relembrou coisas relacionadas à sua carreira no teatro e como era preparar o palco para receber os espetáculos; ademais, Jorge comentou como o Grupo Tuca se utilizava do espaço e da escolta que acompanhou Caetano Veloso após ter sido vaiado durante o III Festival Internacional da Canção.

Condição de Acesso:
Não há restrições à consulta.

 
Parceiros
                                                                                   
Rua Monte Alegre, 1024 . Telefones: Administração (11) 3670-8470 / Secretaria: 8458 / Locações: 8460 / Comunicação: 8462
Copyright © 2011 Teatro Tuca. Todos os direitos reservados.
| DTI-Núcleo de Mídias Digitais